Os perigos da publicidade


Toda a gente se lembra desta campanha, não é verdade? Ele foi mupies, outdoors e pacotes de açúcar que infestaram pires de café por todo o país. Eram pacotes que até nem destoavam num fundo de colheres de alumínio, borras e pingas aguadas. Este é um deles. No entanto, não era este que vos queria mostrar cá no blogue hipertenso. Era outro... eu bem vasculhei em dois cafés da zona e ainda não encontrei o que queria. Entre «Um dia encho-te o quarto de flores» e «Um dia desato a cantar na rua», há um pacotinho que me parece uma ameaça à sanidade mental. À minha pelo menos. «Um dia a minha vida vira um livro»: aqui temos o elemento do crime e a prova de que a publicidade pode ser terrivelmente maquiavélica. E porquê? Porque só me apetece tirar férias antecipadas... sempre que olho para as pilhas de originais nacionais que me esperam diariamente na secretária. Comam antes uma peça de fruta, está bem?

5 Responses so far.

  1. ignatius reilly says:

    Recebeste o meu manuscrito?

    Cordiais saudações,
    MST

  2. O teu espero que sim! Ainda ganhas o Pulitzer a título póstumo,vais ver!

  3. Ignatius Reily says:

    Manca-te!
    Estás-te à armar ó minha. Deves ter mesmo lido o conféderence ófe dunques, deves deves... Olha-me esta.

  4. Não li mas está na minha To Read List. :)

  5. LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL
    que lindo!!!
    o desespero... o terror!...
    mas ao menos dás uma alternativa saudável!