O my brothers...


«Que afinal o que importa é não ter medo
de chamar o gerente e dizer muito alto ao pé de muita gente:
Gerente! Este leite está azedo!»

«Pastelaria», Mário Cesariny

Não tenho medo de chamar o gerente. O que me chateia é o gerente querer convencer-me que o leite está dentro do prazo. E o gerente tem sempre razão, não é?



Hoje... estou mesmo a precisar de um copo de Moloko Plus, de dizer uns quantos palavrões em NADSAT e de me tornar uma devotchka muito violenta. Hoje é dia de partir a lavandaria, estraçalhar electrodomésticos e espatifar cestos de roupa ao som da Nona de Beethoven! Droogs, divirtam-se e tragam tacos e bengalas.

4 Responses so far.

  1. Ignatius Reilly says:

    Ah ah Ah.
    O gerente gosta do meu manuscrito.
    O gerente gosta do meu manuscrito.

    EU E O GERENTE É QUE SABEMOS!

  2. O gerente não sabe distinguir uma tosta mista de uma meia de leite. E tem de aprender a ler.

  3. lol
    estavas msm zangada nesse dia... restos de Praga?

  4. Antes fosse! Eram mesmo ossos do ofício.