Alberto Pimenta: o homem, o discurso e a jaula

Mais um senhor da minha tese. Um grande professor e um dos mais destacados membros do grupo de poesia concreta em Portugal. Insurrecto. Controverso. Experimental. & Etc. e tal. Deixo-vos com o homem, o discurso e jaula porque a poesia não se faz só de versos, uma grande lição que aprendi com ele.

«Assim entre nós, estimados compatriotas, o filho-da-puta não existe em maior ou menor número que outros lugares; não, estimados compatriotas, não haja ilusões. Sucede apenas que o filho-da-puta nacional tem os seus hábitos e modos próprios. Um bocadinho triste, apagado, cansado, muito queixoso, muito lamentoso, vaidoso mas satisfeito com pouco, muito hipócrita e, coisa curiosa, ao mesmo tempo ordinário e delicado, muito ordinário e muito delicado, muito muito ordinário e muito muito delicado
Discurso sobre o Filho-da-puta (1977)



«HOMO-SAPIENS», Jardim Zoológico de Lisboa, 1977.

«HIS MASTER'S VOICE», 1971

One Response so far.

  1. lol! Ainda há uns tempos falei desta coisa do Homo Sapiens pelo Pimenta ali pelo mirc...